Reserva de Recrutamento 2 – grupo 410

Grupo 410: todas as listas da Reserva de Recrutamento 2, de 15 de setembro, disponíveis em https://drive.google.com/open?id=0BzNM9Emc_2bwcjZRZGdkWldjOTA 

 

Facebook Comments
Marcados com:
Publicado em Concursos

Grupo 410 – Reserva de Recrutamento 1

PdF disponibiliza as listas de colocação e não colocação de docentes do grupo 410 – Filosofia.

Siga este link para visualizar ou fazer o download:

https://drive.google.com/open?id=0BzNM9Emc_2bwdGVWYng4cEcxZHc

Facebook Comments
Marcados com: , ,
Publicado em Concursos

Lição 1 – Lições de Metafísica

Vídeo da Lição 1 do Módulo 2 – Lições de Metafísica para o Ensino Médio – Prof. Dr. Sérgio Strefling/UFPel

MOOC completo disponível em https://www.openlearning.com/filosofiaufpel/courses/eftd

 

 

Facebook Comments
Marcados com: , ,
Publicado em Didática da Filosofia

O Ensino de Filosofia e a sua Transposição Didática: Vídeo IV – Pedro Leite

Vídeo IV do MOOC “O Ensino de Filosofia e sua Transposição Didática”, disponível em https://www.openlearning.com/filosofiaufpel/courses/eftd

 

 

Facebook Comments
Marcados com: , , , , ,
Publicado em Didática da Filosofia

Ensino de Filosofia e a sua Transposição Didática: Vídeo III – Sérgio Strefling

Introdução à leitura de textos filosóficos (literatura e argumentação) – Prof. Dr. Sérgio Strefling/UFPel

O texto filosófico é diferente do texto poético, pois possui uma reflexão radical, rigorosa e de conjunto, tratando de um problema a partir da sua raiz, procurando desenvolver respostas através de uma argumentação racional.

Sérgio considera que é importante fazer a divisão do trabalho de texto por etapas:

1) análise textual

2) análise temática

3) análise interpretativa

4) problematização

5) reflexão pessoal

 

 

Fonte: https://www.openlearning.com/filosofiaufpel/courses/eftd/Pages/IntroduoLeituraDeTextosFilosficosLiteraturaEArgumentaoProfDrSrgioStreflingUfpel

 

 

Facebook Comments
Marcados com: , ,
Publicado em Didática da Filosofia

O Ensino de Filosofia e sua Transposição Didática: Vídeo II

Falar em Ensino de Filosofia leva-nos a colocar imediatamente algumas questões, tais como o que é a Filosofia e como diferenciá-la em relação às restantes áreas do conhecimento.
A Filosofia é definida como atividade racional que procede por meio de conceitos.
Robinson Santos apresenta o ponto de vista de Kant, segundo o qual não se pode aprender Filosofia mas sim a filosofar. Esta afirmação deve ser entendida como a negação do ensino da filosofia enquanto doutrinação dogmática. Não se trata de aprender pensamentos, mas de aprender a pensar. Portanto, um ensino de Filosofia que seja meramente historicista não é uma autêntica forma de ensinar a filosofar. Para Kant, o modo pelo qual se pode aprender filosofia é o método zetético, isto é, um método de reflexão e concluir por si mesmo. Isto é, o estudante não deve ser doutrinado, mas sim conduzido a ser capaz de pensar por si próprios, conquistando a autonomia no pensar e no agir. Da mesma forma, nota Robiinson Santos, Desidério Murcho também realça a necessidade de aprender a filosofia, a pensar por si próprio, e não a recitar autores.

Facebook Comments
Marcados com: ,
Publicado em Didática da Filosofia

Bertrand Russell “As funções de um professor”

No âmbito do MOOC “O Ensino de Filosofia e sua Transposição Didática”, eis o texto de Bertrand Russell “As funções de um professor” proposto para o Módulo 1, Lição 1

RUSSELL, Bertrand. As funções de um professor by Ana Graziela Cabral on Scribd

 

Facebook Comments
Marcados com: , , , , ,
Publicado em Didática da Filosofia

O Ensino de Filosofia e sua Transposição Didática

Este é o primeiro vídeo de um curso massivo online disponibilizado pela Universidade Federal de Pelotas pelo sistema Open Learning.

Disponível em

https://www.openlearning.com/filosofiaufpel/courses/eftd/Pages/OEnsinoDeFilosofiaESuaTransposioDidticaProfDrKelinValeiroUfpel

O Ensino de Filosofia e sua Transposição Didática (Profª. Drª. Kelin Valeirão – UFPEL)

 

Começa-se por considerar que a didática se refere à eficiência no ensino: como proceder para que os alunos aprendam mais? A este propósito são referida duas obras:

  • Descartes, Discurso do Método, com regras para a condução dos espírito;
  • Comenius, Didática Magna, com regras de universalização do ensino.

Considera-se que a didática é a tentativa de fazer com que o professor ensine “menos” e o aluno aprenda “mais”.

A questão central deste curso é a de saber como é que os conhecimentos científicos se tornam conhecimentos escolares. Essa transposição didática é a fabricação, a criação de um objeto de ensino.

São então distinguidas três linhas orientadoras (“epistemologias”) que historicamente perpassam a educação escolar:

  1. Transmissão de conhecimento
  2. Relação dialética Professor-Aluno
  3. Relações poder – linguagem – discurso

 

Classicamente, existe uma relação sujeito-objeto: o professor e o aluno, o transmissor do conhecimento e o seu receptáculo. Esta epistemologia dualista pode ser representada por várias correntes, tais como o empirismo e o racionalismo.

No Brasil, por volta dos anos 80/90, vinculada à Pedagogia Crítica, surge um terceiro termo da relação: não apenas professor/aluno, mas também a relação com o conhecimento. Continua a distinguir-se entre um aluno cognoscente, que pode conhecer, enquanto o professor é a ponte que liga o aluno ao conteúdo a ser aprendido, o cognoscível.

A 3.ª epistemologia é a epistemologia da compreensão: ensinar é interpretar. A linguagem, na senda de Gadamer, surge como aquilo que instaura sentido.

O grande dilema do ensino da Filosofia é que de um lado encontramos o professor monólogo, que não abdica da precisão dos deus conceitos e da pureza dos conteúdos filosóficos; geralmente os alunos nada compreendem das aulas e limitam-se a admirar a sapiência do professor. Do outro lado temos o “professor senso comum”, que parte da realidade do aluno mas não consegue avançar para os conhecimentos filosóficos, que propõe debates e utiliza elementos próximos das vivências dos alunos, mas nunca consegue atingir os conteúdos especificamente filosóficos.
Pergunta-se, então, quais são as reais funções do professor, recomendando para tal o texto de Bertrand Russell “As funções do professor”.

 

 

Facebook Comments
Marcados com: , , , ,
Publicado em Didática da Filosofia

The Transition from Studying Philosophy to Doing Philosophy, JOHN RUDISILL

Artigo de John Rudisill sobre a didática da filosofia, incluindo três anexos sobre competências e finalidades da disciplina, grelha de avaliação e descritores de desempenho. Muito interessante para todos os professores de filosofia.

 

Transition From Reading to Doing Philosophy by aristokle on Scribd

Facebook Comments
Marcados com: , , ,
Publicado em Didática da Filosofia

Listas definitivas 2017 – Grupo 410, Filosofia

PdF disponibiliza todas as listas dos concursos de docentes para o ano letivo 2017/8.

 

Siga os links:

Mobilidade interna:

https://drive.google.com/drive/folders/0BzNM9Emc_2bwa3ItNjdQd2N1N3c?usp=sharing

 

Concurso de contratação:

https://drive.google.com/drive/folders/0BzNM9Emc_2bwek5fNDJpVUp2Yms?usp=sharing

 

 

 

Facebook Comments
Marcados com: , , ,
Publicado em Concursos
Arquivo