Berlusconi acusa Presidente italiano de “grave erro” por morte de Eluana

O primeiro-ministro italiano, Silviou Berlusconi, acusou hoje o
Presidente, Giorgio Napolitano, de ter cometido “um erro grave” por
recusar um decreto urgente que teria mantido Eluana Englaro, 38 anos, em
estado vegetativo desde 1992, segundo a imprensa italiana.

Belusconi lamentou ainda “não ter chegado a tempo” para impedir a decisão
de não alimentar Eluana, o que, disse, lhe causou “profunda dor”.

O Governo de Berlusconi ignorou a recusa de Napolitano e tentou levar a
questão ao Parlamento – hoje teria sido votada no Senado, onde foi em vez
disso levado a cabo um minuto de silêncio pela morte de Eluana –
justificando a acção pró estarem em causa “princípios morais”.

O ministro das Reformas, Umberto Bossi, reagiu dizendo que não se pode
“deixar morrer à fome e à sede” uma pessoa.

O pai de Eluana veio ontem explicar o estado da filha. “Se vissem uma foto
de Eluana agora, muitos se calariam”, disse. “Mas nunca faria isso”.

O Diário italiano Corriere Della Sera descreveu como estava agora Eluana –
que aparece nos jornais em fotografias sorridentes anteriores ao acidente
que sofreu em 1992, com base nos relatos do Ministério da Saúde e que
disseram que não imaginavam a deterioração no seu estado. Pesava 40
quilos, tinha sempre os braços e pernas encolhidos, nunca podia estar de
barriga para cima porque os líquidos saíam do estômago atrofiado, descreve
o Corriere Della Sera. Só podia estar apoiada no lado direito, e tinha
chagas e lacerações na pele – até na cara.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1364628&idCanal=11

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.