Arquivos do Blog

O que há de distintivo na ciência humana?

A ciência é um fenómeno biológico. A ciência surgiu do conhecimento pré-científico; é uma continuação bastante notável do conhecimento de senso comum, que por sua vez pode ser considerado uma continuação do conhecimento animal. (…) O que é que há

Marcados com: , , , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

O novo problema da indução

A confirmação de uma hipótese por uma instância depende em grande parte de traços característicos da hipótese que não a sua forma sintáctica. Que um dado pedaço de cobre conduza a electricidade aumenta a credibilidade de afirmações de que outros

Marcados com: ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

Platão e o conhecimento como crença verdadeira justificada

Sócrates – Por certo que, se estamos a investigar o saber, será uma completa parvoíce sustentar que é uma opinião correcta acompanhada de saber, seja do saber da diferença, seja do de qualquer outra coisa. Por conseguinte, Teeteto, o saber

Marcados com: , , ,
Publicado em Filosofia do Conhecimento

O que há de distintivo na ciência humana?

A ciência é um fenómeno biológico. A ciência surgiu do conhecimento pré-científico; é uma continuação bastante notável do conhecimento de senso comum, que por sua vez pode ser considerado uma continuação do conhecimento animal. (…) O que é que há

Marcados com: , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

A Alegoria da Caverna

Em vídeo: 1, 2, 3, 4, Um exemplo: O texto pode ser lido aqui.

Marcados com: , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

O indutivismo de Bacon

Na obra Novum Organum – que já no título se contrapõe ao ‘velho’ Organon de Aristóteles –, Bacon critica os quatro ídolos responsáveis pelo insucesso da ciência. Os ‘ídolos da tribo’ referem-se às imperfeições do intelecto, inerentes a toda ‘tribo’

Marcados com: , , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

A relação causa-efeito

A tese fundamental de Hume é que a relação entre causa e efeito nunca pode ser conhecida a priori, isto é, com o puro raciocínio, mas apenas por experiência. Ninguém, posto frente a um objecto que para ele seja novo

Marcados com: , , , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

Platão e o conhecimento como crença verdadeira justificada

Sócrates – Por certo que, se estamos a investigar o saber, será uma completa parvoíce sustentar que é uma opinião correcta acompanhada de saber, seja do saber da diferença, seja do de qualquer outra coisa. Por conseguinte, Teeteto, o saber

Marcados com: , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

Mill e o indutivismo

O estabelecimento destes cânones da investigação científica deu origem à constituição de uma das mais importantes e difundidas concepções da Filosofia da ciência, o indutivismo, que se pode sintetizar enunciando os seus princípios fundamentais (cf. Harré, 1978, p. 42): antes

Marcados com: , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento

O novo problema da indução

A confirmação de uma hipótese por uma instância depende em grande parte de traços característicos da hipótese que não a sua forma sintáctica. Que um dado pedaço de cobre conduza a electricidade aumenta a credibilidade de afirmações de que outros

Marcados com: , , , , , , , , ,
Publicado em Epistemologia, Filosofia do Conhecimento
Arquivo