Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida – Relatório n.º 48

A clonagem, como meio de produção assexuada de um ser idêntico a um outro já existente, desde há muito que faz parte do imaginário do Homem, expresso em narrativas várias ao longo dos tempos e particularmente na literatura de ficção do século XX. Desde os mitos da Antiguidade, de que a formação de Eva a partir de uma costela de Adão é apenas um exemplo, às obras de ciência de ficção do século XX, como In his image: the cloning of a man (1978), de David Rorvik, a criação de um ser humano por clonagem tem sido narrada (L. Archer, 2000). E a narrativa, na esteira do pensamento de Paul Ricoeur, é um processo de auto compreensão humana e de construção de identidade pessoal.

Relatório Clonagem Humana – 48 CNECV 06

Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com
Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.