Escola deve estimular pensamento crítico dos alunos, diz ex-ministro da Justiça

A escola actual deveria educar para a "desobediência" no sentido em que
deve estimular nos alunos o desenvolvimento de pensamento crítico,
defendeu hoje Álvaro Laborinho Lúcio.

O ex-ministro da Justiça e membro eleito da Academia Internacional da
Cultura Portuguesa falava em Faro, durante a sessão comemorativa do Ano
Europeu da Criatividade e Inovação, que se assinala em 2009.

"Numa sociedade em que se pretenda que seja um instrumento de
criatividade, a escola deve ser também um instrumento para o
desenvolvimento económico, cidadania e democracia", afirmou.

Durante a palestra "Pelos caminhos da criatividade – entre a razão e a
emoção", Laborinho Lúcio falou ainda do conceito de "rebeldes competentes"
e do facto de não haver "nada melhor" para formar a desobediência que a
arte e a criatividade.

"A escola de hoje deve ensinar a pensar, escolher e agir", resumiu,
sublinhando que as escolas devem educar para o fomento do pensamento
crítico dos alunos, formando assim "rebeldes competentes".

O Ano Europeu da Criatividade e Inovação tem como principal missão
estimular a inovação, apoiando os esforços dos Estados-membros da União
Europeia na promoção da criatividade.

Neste âmbito, está previsto em Portugal um programa com cerca de 120
iniciativas nas áreas da educação, formação, cultura, artes, inovação
social e empreendedorismo.

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1368618&idCanal=58

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.