Filosofia com Crianças e Jovens

Alogo Aprender a Pensarprender a PensarFilosofia com Crianças e Jovens, é um projecto que visa promover o pensamento crítico e filosófico nas crianças e nos jovens a partir dos 5 anos de idade.

Tendo em conta que a prática de Filosofia está comprovadamente associada ao incremento de competências lógicas, argumentativas, críticas e cívicas, levando a melhorias no rendimento escolar (nomeadamente no raciocínio matemático e em competências linguísticas), segundo estudo levado a cabo pela Education Endowment Foundation,  não é de estranhar que a Filosofia com Crianças e Jovens esteja cada vez mais presente nas escolas no ensino básico, principalmente naquelas para as quais o desenvolvimento integral das crianças é uma prioridade.

Objectivos :

12191054_10203724425749980_3233378244645034294_n

                                       Caixa-Mistério

  • formular conceitos de forma precisa e clara (pela percepção da importância de uma boa definição);
  • incentivar a livre expressão de ideias;
  • desenvolver competências argumentativas (defender uma ideia com razões ou argumentos, bem como contrapor ou refutar argumentos);
  • aprender a fundamentar coerentemente as opiniões (Porquê? Como?);
  • generalizar de modo apropriado (impedindo a construção de preconceitos);
  • estabelecer correctamente relações de causa-efeito;
  • reconhecer erros de raciocínio ou falácias;
  • desenvolver competências lógicas (nomeadamente pela identificação de contradições no discurso);
  • descobrir alternativas, explorando situações dilemáticas;
  • estabelecer conexões lógicas (relações de semelhança e de diferença; comparações; conexões);
  • distinguir verdade de falsidade;
  • formular hipóteses (fundamental para o espírito crítico e científico);
  • fomentar o questionamento, a curiosidade e o espírito crítico;
  • promover a empatia, pela colocação no lugar do Outro;
  • incentivar o sentido cívico de respeito pelo Outro (respeitando a vez nas intervenções; solicitando permissão para participar; respeitando opiniões diferentes, entre outras).

    Infantário Carolina Michaëlis, Porto

Método:
As sessões são pensadas tendo em conta um elemento motivador que desperte nas crianças e nos jovens a vontade de participar: pode ser um texto, uma imagem, um objecto, uma notícia, um elemento multimédia ou mesmo as vivências trazidas pelos participantes que desejem ver analisadas e debatidas. A ideia fundamental é a de que as sessões não são feitas para as crianças e os jovens mas com eles. Algumas das sessões acabam por ser feitas com materiais que as crianças trazem, como livros de adivinhas, e que podem constituir um excelente ponto de partida.

Este elemento motivador propicia um salutar momento de discussão, onde todos são convidados a participar, sem medo de respostas certas ou erradas. Mais do que acertar, o importante é participar, sempre de forma ordeira, respeitando a vez e percebendo que todas a opiniões são igualmente válidas, mesmo que com elas não concordemos.

Sessão na EB1 do Muro, Trofa

Aqui, o/a facilitador/a não deve ceder à tentação de dar uma aula, com respostas prontas, mas antes levar os participantes a chegar a uma ideia, a uma resposta, apresentando argumentos que sustentem a sua opinião, refutando argumentos contrários e pedindo clarificação de ideias.

No final, todos são convidados a reflectir sobre a sessão, apresentando a sua avaliação da mesma. Em caso de terem considerado que a sessão não correu bem, fundamentam a sua avaliação, explicando o que consideram ter sido menos positivo e o que pode ser feito em sessões futuras para que seja melhor. Esta prática desenvolve a reflexão e melhora a prestação de todos, inclusive do/a facilitador/a.

Contacte-nos.

Facebook Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*