Filosofia com Crianças: o que é um Tesouro?

20160414_173151[1]Começar uma sessão de Filosofia perguntando às crianças o que é um tesouro e qual o tesouro mais valioso do mundo pode levar-nos a uma verdadeira aventura no mundo dos afectos.

As respostas imediatas recaem sobre quase tudo que reluz: ouro, prata, diamantes, moedas e, de preferência, dentro de um baú escondido por piratas. Mas quando é pedido que identifiquem o mais valioso tesouro do mundo, as respostas resvalam para a dimensão dos afectos e das necessidades essenciais. Trata-se de uma actividade extremamente rica 20160415_150219[1]para a percepção de que aquilo que é valioso para uns pode não ser para outros, bem como da extensão do conceito de riqueza imediata em termos de bens materiais para a família, os amigos, a saúde e o essencial para uma vida digna.

Trabalhar o conceito de “tesouro” é importante para a percepção de que as prioridades são relativas, que o dinheiro, muito embora seja obviamente importante na vida das pessoas, não garante o afecto, o amor e a amizade, pois estes estão para 20160415_150207[1]lá da capacidade financeira.

Nesta sessão realizada na EB1 do Muro, Trofa, algumas crianças quiseram abordar o drama dos refugiados, nomeadamente de outras crianças como elas, e de como estando nessa situação dramática, a sua noção de tesouro seria bem diferente (roupas, alimentos, conforto, carinho, protecção).20160414_181401[1]

Facebook Comments

Professora/Formadora. Licenciatura em Filosofia. Mestre em Comunicação Educacional Multimédia. Especialização em Igualdade de Género. Formação em Filosofia com Crianças pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e pela Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática. Membro de SOPHIA – European Foundation for the Advancement of Doing Philosophy with Children. Formadora / Tutora em e-learning.

Marcados com: , ,
Publicado em Filosofia com Crianças

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Creative Commons
Arquivo