Jafar Panahi’s Taxi

Realizado por Jafar Panahi em 2015 e vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim, Jafar Panahi’s Taxi é um filme realista sobre a vida em Teerão e a luta pela sobrevivência numa sociedade controlada. Proibido de fazer filmes pelo governo iraniano, Panahi contorna a proibição, desta feita como taxista, contactando com pessoas de todos os extractos sociais e condição económica, que expõem o modo de vida imposto pela sharia. Liberdade de expressão e direitos das mulheres são a tónica fundamental do filme. Chamo particularmente a atenção para a  realidade das viúvas que, nessa condição, nada herdam do marido, já que o património transita directamente para os irmãos do falecido. A única salvaguarda é a declaração ainda em vida na qual se manifeste directamente vontade em deixar tudo à mulher, o que sucede no filme de Panahi.

Mais do que um filme, é um retrato cruel de uma sociedade onde a religião e o poder político, de mãos dadas, controlam e reprimem direitos que nós, ocidentais, consideramos adquiridos.

Facebook Comments

Professora/Formadora. Licenciatura em Filosofia. Mestre em Comunicação Educacional Multimédia. Especialização em Igualdade de Género. Formação em Filosofia com Crianças pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e pela Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática. Membro de SOPHIA – European Foundation for the Advancement of Doing Philosophy with Children. Formadora / Tutora em e-learning.

Marcados com: , , ,
Publicado em Cinema e Filosofia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Arquivo