John Locke – Origem das ideias

Suponhamos então que a mente seja, como se diz, um papel branco, vazio de todos os caracteres, sem quaisquer ideias. Como chega a recebê-las? De onde obtém esta prodigiosa abundância de ideias, que a ativa e ilimitada fantasia do homem nele pintou, com uma variedade quase infinita? De onde tira todos os materiais da razão e do conhecimento? A isto respondo com uma só palavra: da EXPERIÊNCIA. Aí está o fundamento de todo o nosso conhecimento; em última instância daí deriva todo ele. São as observações que fazemos sobre os objetos exteriores e sensíveis ou sobre as operações internas de nossa mente, de que nos apercebemos e sobre as quais nós próprios refletimos, que fornecem à nossa mente a matéria de todos os seus pensamentos. Estas são as duas fontes de conhecimento, de onde brotam todas as ideias que temos ou podemos naturalmente ter.
John Locke, Ensaio sobre o entendimento humano – vol. 1, p. 106. 
Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com
Facebook Comments

2 Comments

  1. Aperiência é a mãe de todo o conhecimento, é certo. O resultado da experiência, o que nos fica depende também muito da nossa herança genética.
    Por isso costumo dizer que a personalidade de uma pessoa é o resultado das experiências que teve cavalgando o corpo que herdou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.