NaProTechnology, solução ética para casais inférteis

Em um texto do blog de bioética da Conferência Episcopal Francesa, escrito pelo sacerdote Olivier Bonnewijn, aborda-se o tema da assistência médica e da procriação, abrindo um debate que continuará com os próximos artigos. 

Bonnewijn, presbítero da diocese de Malinas-Bruxelas e professor de ética do Instituto Teológico de Bruxelas, alude em sua nota à prova de infertilidade para os casais e oferece um esclarecimento sobre o que a Igreja Católica diz a respeito das técnicas de produção de embriões humanos. 

«Com quem falar? – pergunta-se Bonnewijn em seu artigo. Desde a segunda metade do século XX, o progresso da ciência permite a realização de tratamento eficazes. Os médicos atendem casos de infertilidade, dando assim a numerosos esposos a possibilidade de realizar seu desejo de ser pais. A Igreja se alegrou sempre por este progresso. O desenvolvimento atual da NaProTechnology oferece um exemplo entre outros. A medicina da procriação surgiu entre os casais colocando-se a seu serviço, seja antes, durante ou depois de sua união conjugal.»

Divulgando a nota de Olivier Bonnewijn, Caroline Guidon aborda, dentro do mesmo blog, o tema da NaProTechnology. 

«Ao contrário das técnicas de assistência médica à procriação, que rodeiam as causas de infertilidade e substituem o ato conjugal, a NaProTechnology investiga e trata das causas subjacentes da infertilidade, tanto na mulher como no homem, para permitir a concepção em uma relação sexual normal», afirma Guidon. 

«O objetivo é, portanto, ajudar os casais a conceberem seu próprio filho, mas não a qualquer preço: nunca às custas da saúde mental e física da mulher, da relação do casal, da destruição de outros embriões ou da desvalorização da pessoa da criança por nascer», acrescenta. 

Caroline Guindon, médica, exerce a NaProTechnology desde setembro de 2005 na Clínica de Fertilidade da Clínica Galway na Irlanda. 

Guindon explica como a NaProTechnology pode ajudar os casais que enfrentam a infertilidade a conceber uma criança no respeito de sua relação e do embrião. 

Acessível na Irlanda desde 1998, este método permitiu que mais de 800 casais irlandeses e ingleses chegassem ao término da gravidez. Até hoje, foram acompanhados três mil casais. 

Para ter acesso aos artigos: http://www.bioethique.catholique.fr/

Para saber mais sobre o método da Dra. Guindon:www.fertilitycare.fr

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.