O Silogismo categórico:as falácias mais importantes

AS FALÁCIAS DO TERMO MÉDIO NÃO DISTRIBUÍDO, DA ILÍCITA MAIOR E DA ILÍCITA MENOR

TÉCNICA PARA AS DESCOBRIR
As falácias formais – defeitos na forma do raciocínio – mais importantes na lógica dita aristotélica são estas:
Falácia do termo médio não distribuído, da ilícita maior e da ilícita menor

Considere o seguinte silogismo
Todos os filósofos são pessoas com espírito crítico.
Algumas pessoas com espírito crítico são cientistas.
Logo, alguns cientistas são filósofos.

Perguntemos: que falácia comete este silogismo?
Comete a falácia da ilícita maior? Comete – se esta falácia quando o  termo maior tem mais extensão na conclusão do que na premissa.
Identifiquemos o termo maior. O que define o termo maior é ser o predicado da conclusão. O termo maior é filósofos.
Vejamos qual a sua extensão quer na premissa quer na conclusão. Vemos que na primeira premissa – Todos os filósofos são pessoas com espírito crítico – ele está quantificado universalmente ou tem extensão universal. Está distribuído.
E na conclusão? Na conclusão – Logo, alguns cientistas são filósofos – tem extensão particular. Dizer que alguns cientistas são filósofos equivale a dizer que alguns filósofos são cientistas. Lembre – se que predicado de proposição afirmativa é, regra geral, particular.
Assim, o termo maior – filósofos – é universal na premissa e particular na conclusão. Não se comete portanto a falácia da ilícita maior porque o termo maior não tem mais extensão na conclusão do que na premissa.
Um problema está resolvido. O termo maior passou no teste. Vamos assinalar esse facto a verde.
Todos os filósofos são pessoas com espírito crítico.
Algumas pessoas com espírito crítico são cientistas.
Logo, alguns cientistas são filósofos.

Passemos a outro problema. Comete a falácia da ilícita menor? Comete – se esta falácia quando o termo menor tem mais extensão na conclusão do que na premissa
Identifiquemos o termo menor. O que define o termo menor é ser o sujeito da conclusão. O termo menor é cientistas.
Vejamos qual a sua extensão quer na premissa quer na conclusão. Vemos que na segunda premissa – Algumas pessoas com espírito crítico são cientistas – ele tem extensão particular. Dizer que algumas pessoas com espírito crítico são cientistas equivale a dizer que alguns cientistas são pessoas com espírito crítico. Lembre – se que predicado de proposição afirmativa é, regra geral, particular.
E na conclusão? Na conclusão – Logo, alguns cientistas são filósofos – tem extensão particular. O quantificador é “alguns”.
Assim, o termo menor – cientistas – é particular na premissa e particular na conclusão. Não se comete portanto a falácia da ilícita menor porque o termo menor não tem mais extensão na conclusão do que na premissa.
Mais um problema está resolvido. O termo menor passou no teste. Vamos assinalar esse facto a verde.
Todos os filósofos são pessoas com espírito crítico.
Algumas pessoas com espírito crítico são cientistas.
Logo, alguns cientistas são filósofos.

Como se perguntou que falácia comete este silogismo, antevê – se que é a falácia do termo médio não distribuído. É verdade mas temos que justificar essa afirmação. Comete – se esta falácia quando o termo médio é particular em ambas as premissas.
Vejamos qual a extensão do termo médio em ambas as premissas. O termo médio é pessoas com espírito crítico. Na premissa maior é particular porque dizer que todos os filósofos são pessoas com espírito crítico equivale a dizer que algumas pessoas com espírito crítico são filósofos. Lembre – se que predicado de proposição afirmativa é, regra geral, particular.
Na premissa menor o quantificador alguns indica – nos que o termo médio – pessoas com espírito crítico – está quantificado particularmente, tem extensão particular.
Assim, vemos que o termo médio é particular em ambas as premissas. Ora devia ser universal pelo menos em uma. Este silogismo é inválido ou falacioso. O termo médio não está distribuído ou não tem extensão universal em nenhuma premissa.
O termo médio não passou no teste. Assinalemos esse facto a vermelho.
Todos os filósofos são pessoas com espírito crítico.
Algumas pessoas com espírito crítico são cientistas.
Logo, alguns cientistas são filósofos.
O termo médio pode ser universal nas duas premissas e particular em uma. O que não pode é ser particular nas duas. Tem de ser universal – estar distribuído – pelo menos em uma delas.

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.