Os conceitos morais transformam-se conforme se transformam as sociedades?

«A filosofia moral é escrita como se a sua história tivesse uma importância secundária ou acidental. Esta atitude parece resultar da crença que os conceitos morais podem ser examinados e compreendidos separados da sua história. Alguns filósofos até escreveram como se os conceitos morais fossem uma espécie de conceitos intemporais e imutáveis, necessariamente com as mesmas características ao longo da sua história, de tal forma que existe uma parte da linguagem à espera de ser investigada filosoficamente e que merece o nome de “a linguagem da moral”. (…) De facto os conceitos morais transformam-se conforme a vida social se transforma. Não escrevo deliberadamente «porque a vida social se transforma», já que isso pode sugerir que a vida social é uma coisa e a moralidade outra, e que existe apenas uma relação causal, externa e contingente entre elas. Isto é obviamente falso. Os conceitos estão incorporados nas, e são parcialmente constitutivos das formas de vida social. (…) Compreender um conceito, agarrar o significado das palavras que o expressam é sempre aprender as regras que governam o seu uso, e portanto agarrar a função do conceito na linguagem e na vida social. »

Alasdair MacIntyre, A short history of ethics, Routledge, pp. 1, 2. (tradução de Rui Areal)

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.