Pensar com a caneta

Penso de facto com a minha caneta, pois é frequente que a minha cabeça nada saiba sobre o que a minha mão está a escrever.

Wittgenstein, Cultura e valor, Ed. 70, p. 34.
Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com
Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.