Pode refutar-se a afirmação «a verdade é relativa»? Esta poderia ser absoluta?

Há muitos tipos de relativismo, alguns dos quais razoavelmente consensuais. Imagine que eu pergunto «O Benny Hill tem graça?» (…) Trata-se apenas de uma questão de gosto, ou, neste caso, do sentido de humor de cada um. Assim, a verdade da asserção «O Benny Hill tem graça» é, em certo sentido, relativa à pessoa que a profere.
Contudo, existe uma forma extrema de relativismo segundo a qual tudo é relativo: a verdade de uma asserção é relativa à pessoa que a profere. (…)
Comecemos por perguntar em relação a quê, exactamente, é verdade supostamente relativa. O desafio mais conhecido à forma extrema de relativismo – a tese de que toda a verdade é relativa – é directo e, tanto quanto me é dado saber, nunca teve resposta adequada. Consiste no seguinte: é melhor que a verdade da asserção «A verdade é relativa» não seja relativa! (…)

Os filósofos não estão de acordo quanto a isto. Todavia, sou de opinião de que existem verdades absolutas.(…) Pode haver áreas em que não se possa chegar à verdade absoluta. Algumas pessoas diriam que as afirmações sobre questões éticas são disso exemplo; outras di-lo-iam acerca das afirmações sobre beleza. Porém, disto não se infere que não existam áreas em que há verdade absoluta.

Posto isto, a pergunta que se impõe é se dispomos de algum exemplo plausível de verdade absoluta. Eis um: «Há árvores em Portugal». Não é a frase mais excitante que imaginar se possa, concordo, mas é verdadeira, e não só para mim. É apenas verdadeira, absolutamente. Deixo-lhe a missão de descobrir exemplos mais interessantes.

 

Alexandre  George, “O que diria Sócrates”, Gradiva, 2008, pp. 37-39.

Facebook Comments

2 Comments

  1. Se toda verdade é relativa, e, sendo isto uma verdade, temos que saber a que é relativa.
    Parece um ciclo infernal que te leva a um poço cheio de incapacidades (como a de resolver o problema, ou vislumbrar uma possibilidade de resposta). Existem dois caminhos, analisar a acerção da sentença (que nos leva ao ciclicismo, ou tlavez resolvida por alguma teoria lógica), ou, buscar validá-la através de exemplos factuais de verdades absolutas.
    Podemos destacar assim que temos, uma tarefa bem chata pela frente, pois, sempre haverá um extremo que afirmará, a verdade constatada só é somente para ti, não é relativa à minha. Pelo menos ele sabe que existe uma verdade, independente se ela é verdadeira pra mim ou pra outro qualquer, mas algo é verdadeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.