Sociólogo defende implantação de disciplinas de Filosofia e Sociologia

A obrigatoriedade da inclusão das disciplinas de Filosofia e Sociologia na
grade curricular do ensino médio das escolas estaduais ainda causa
polêmica em todo o país. O sociólogo Evandro de Souza procurou a
reportagem e afirmou que existem dificuldades da comunidade em aceitar as
disciplinas de sociologia e filosofia no ensino médio, “portanto, o que
não estão avaliando é a importância de se construir cidadãos. Este é o
papel das escolas, para que realmente possamos ter uma Nação forte,
livre”, observa o sociólogo.
Para ele, existe necessidade de reavaliar os currículos pedagógicos, carga
horária e formação dos professores. “Esta discussão se faz necessária para
um aproveitamento adequado para se formar o aluno. O ensino brasileiro
apresenta deficiências e falhas que já deveriam ter sido sanadas. Depende
dos profissionais da área e de toda a sociedade em apresentar o modelo
eficiente de ensino”, diz. Segundo Souza, os sociólogos e filósofos estão
se mobilizando para apresentar uma proposta adequada e coerente para que
não haja prejuízos. “Temos acompanhado o trabalho do Sindicato dos
Sociólogos de São Paulo nas propostas que irão beneficiar a todos, tendo
como pensamento primordial a formação do cidadão”, destaca.

Polêmica – Vale lembrar que a obrigatoriedade das disciplinas de
sociologia e filosofia no ensino médio das escolas públicas tem gerado
polêmica. Em Minas Gerais, as escolas públicas oferecem o ensino por
ênfase a partir do segundo ano do ensino médio, fazendo com que o aluno
fique sem as disciplinas de geografia, história, química, física, biologia
ou língua estrangeira, conforme a opção, por humanas, exatas ou
biológicas. (MGS)

http://www.jornaldeuberaba.com.br/?MENU=CadernoA&SUBMENU=Cidade&CODIG...

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.