Arquivos do Blog

Strange Tools: Art and Human Nature, por Alva Noë

Alva Noë, professor de Filosofia na Universidade de Berkeley, na Califórnia, lançou recentemente Strange Tools: Art and Human Nature, no qual reflecte sobre a natureza da Arte: o que é uma obra de arte? Qual a sua importância? O que diz a

Marcados com: , , , , , , , , , ,
Publicado em Sem categoria

Será Arte?

“Mamarracho de Natal” causa polémica em Bruxelas Para o município de Bruxelas, isto é uma árvore de Natal. Para outros, é uma obra de arte. Mas para muitos belgas, não passa de um perfeito mamarracho. A obra, concebida por um

Marcados com: , , , , , , , , ,
Publicado em Sem categoria

Primeira lição de voo. Pobre não tem metafísica by Gustavo Sumpta

Certos homens da arte [artistas, como lhes chamam] conseguem pontes [conexões, relações, …] entre aquilo que os homens da filosofia [filósofos, portanto…] apenas conseguem apontar. [Ou será o contrário?] Deixamos aqui um momento para reflectir sobre voos…e metafísica, claro está!

Marcados com: , , ,
Publicado em Sem categoria

O Belo em Kant

Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria

António Pedro Pita, “Presença, Representação e Sentimento”

Para que a obra se torne objecto estético e para que , pelo objecto estético , o sensível se exprima, na consagração que é o seu próprio desenlace, o espectador não deveria ser senão um meio 3. A obra e

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria

Encarnação Reis, “A Função do Estético”

(…) “a cor verde dos prados”, dirá Kant (..), “é uma sensação objectiva enquanto percepção de um objecto dos sentidos, ao passo que o seu carácter agradável é uma sensação subjectiva, pela qual nenhum objecto é representado”. Só os sentimentos

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria

Richard Dawkins – A ciência é arte

Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com

Marcados com: , , ,
Publicado em Sem categoria

Mario Perniola – A estética do século XX – #3

Com efeito, não é certo que a noção de «diferença» possa ser considerada como um verdadeiro conceito, análogo ao de «identidade» (em torno do qual se movimenta a lógica de Aristóteles) e ao de «contradição» (em torno do qual se

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria

Mario Perniola – A estética do século XX – #2

Donde deriva esta incapacidade da estética para fornecer uma interpretação teórica do sentir contemporâneo? Por que razão parece este escapar à apropriação intelectual da experiência estética? Por que razão noções como a de vida e a de forma, faculdades como

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria

Mario Perniola – A estética do século XX

Esta actividade multiforme [da estética do século XX] é, a meu ver, redutível a quatro campos conceptuais bem determinados e identificáveis através das noções de vida, forma, conhecimento e acção. (…) Toda a estética no sentido restrito (ou seja, que

Marcados com: ,
Publicado em Sem categoria
Arquivo