Testes intermédios de Filosofia

Circula na internet um e-mail cujo teor, por ser público, passamos a transcrever:

Car@s Sóci@s,

Conforme tivemos oportunidade de anunciar participámos no dia 13 de Dezembro de 2010, numa reunião ordinária do Conselho Consultivo do GAVE – Gabinete de Avaliação Educacional para debater os seguintes assuntos inscritos na ordem de trabalhos:

1 – Informações;

2 – Esclarecimentos sobre matérias propostas pelos membros;

3 – Balanço da época de Exames e breve análise dos resultados;

4 – Fiabilidade e dificuldade das provas de aferição e de exame; Outros assuntos.

A inexistência de Exame Nacional de Filosofia nos últimos anos fez com que a nossa intervenção na reunião se centrasse sobretudo na questão dos Testes Intermédios e sua implementação no presente ano lectivo. Nesse contexto, tivemos oportunidade de apresentar o resultado da nossa auscultação aos sócios, documento que remetemos em anexo. Da parte do Director do GAVE houve compreensão pelas críticas e reconhecimento de que o processo de implementação da prova se atrasou um pouco relativamente ao seu desejo.   Informou que se inscreveram 345 escolas nos Testes Intermédios de Filosofia, um pouco aquém da expectativa inicial de 500 escolas.

Os números não ficaram muito distantes do que havíamos apurado internamente, a partir da participação dos nossos associados, onde constatámos nas respostas que nos remeteram 70% de inscrições na prova.

Ficou igualmente claro que a prova de Exame Nacional de Filosofia será reintroduzida em 2012 e que a implementação dos Testes Intermédios a Filosofia visam já esse objectivo, apurando o estado da arte.

O Director do GAVE acentuou que considera os Testes Intermédios como um bom desafio para as escolas, professores e alunos e que não vê essa prova como uma forma de controlo.

Relativamente a uma das críticas apresentadas (extensão dos conteúdos a avaliar em Fevereiro), lembrou que é possível aplicar a prova não considerando parte dos conteúdos e que as provas prevêem essa situação ao incluir uma tabela de conversão que permite classificar o teste em função do número de itens seleccionado.

Finalmente, a Prova de Exame Nacional terá carácter facultativo, podendo o aluno optar entre duas provas da formação específica ou uma prova da formação específica e Filosofia (da formação Geral, 10.º e 11.ºano).

Cordialmente,

A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA

www.apfilosofia.org

Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com
Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.