Thomas Nagel – Razão e relativismo #5

Tudo depende do resultado desta disputa peculiar pela última palavra. O subjectivista quer dar a última palavra ao reconhecimento de que as justificações param no interior da nossa linguagem e das nossas práticas. Eu quero dá-la às próprias justificações, incluindo algumas que estão envolvidas ou implicadas nesse reconhecimento – reconhecimento que está subordinado a elas, tal como o reconhecimento de que uma notação é essencial para pensar sobre aritmética está subordinado à própria aritmética. (…)
A única maneira de resistir à tentação constante de dar a última palavra – mesmo que se trate da última palavra indizível – à primeira pessoa, do singular ou do plural, é ver como o raciocínio de primeira ordem sobre o mundo domina inevitavelmente estas ideias, se as levarmos a sério.
Thomas Nagel, A última palavra, tr. Desidério Murcho, Gradiva, pp. 46, 47.
Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.