Valor objectivo e justificação – Desidério Murcho

No caso da ética, por exemplo, o tipo de justificação que podemos invocar num caso mas não no outro é o que faz a diferença crucial entre a convicção de que é moralmente aceitável discriminar negros ou mulheres e a convicção de que não o é: não é possível justificar adequadamente a primeira convicção, mas é fácil justificar pública e abertamente a segunda. E é porque podemos justificar pública e abertamente a segunda convicção que podemos afirmar que capta um valor objectivo e não meramente subjectivo. Em suma, um valor é objectivo quando podemos justificá-lo adequadamente e não o é quando não podemos fazê-lo.
Desidério Murcho, «Introdução» em Viver para quê – ensaios sobre o sentido da vida,
Dinalivro, pp. 25, 26.
Blogue em http://paginasdefilosofia.blogspot.com
Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.