Vaticano convoca famílias

Encontro Mundial de 2009, sem a presença do Papa, fala de aborto,
divórcio, matrimónio e também de consciência ecológica

A transmissão de valores humanos e cristãos na família será o tema central
do VI Encontro Mundial das Famílias (EMF), que, de 14 a 18 de Janeiro,
deve reunir dezenas de milhares de pessoas na Cidade do México. Para a
cerimónia conclusiva espera-se a presença de um milhão de fiéis.

Na apresentação do evento, esta Sexta-feira, o Vaticano lembrou temas como
o aborto, o divórcio, a eutanásia e questões de bioética. “A família dos
nossos dias deve enfrentar, com criatividade e espírito propositivo, o
desafio de uma cultura individualista e mercantilista, baseada na produção
e no consumismo”, refere o comunicado oficial.

“Temos um conceito errado de liberdade, entendida como autonomia fechada
em si própria; privilegiam-se outras formas de convivência que ofuscam o
valor da família, baseada no matrimónio de um homem e uma mulher”, aponta
a nota, frisando que “colocar-se ao serviço da vida e da educação dos
filhos torna-se hoje muito difícil”.

No México estarão representados 98 países, incluindo Portugal. Marcam
presença 30 Cardeais, 200 Bispos e mais de 300 jornalistas.

A Igreja Católica quer mostrar, no EMF, o seu “grande esforço de
evangelização, apoiando as famílias cristãs nos seus valores e apoiando-as
numa vasta estratégia de promoção, de defesa da vida desde a sua concepção
à morte natural, bem como dos direitos da família, também no âmbito
político, cultural, económico e social.

Para celebrar o EMF foi preparado o “Mosaico das famílias”, com mais de
7000 fotos de famílias de todo o mundo que forma, como num mosaico, a
imagem de Bento XVI.

Além disso, haverá a “Floresta das Famílias”, iniciativa que consiste na
reflorestação de algumas zonas do globo por iniciativa dos participantes
no EMF do México, um meio para “incrementar a consciência ecológica” tão
promovida pelo actual Papa.

No EMF, as famílias encontram-se para dialogar e aprofundar temas da
actualidade, procurando conhecer e partilhar o papel da família cristã na
nova evangelização. Esta foi uma criação de João Paulo II, em 1994, que se
repete de três em três anos, juntando milhares de famílias para rezar,
dialogar, aprender, compartilhar e aprofundar o entendimento do papel da
família cristã.

Cada EMF é organizado pelo Conselho Pontifício para a Família com a
colaboração da diocese eleita como sede.

Para o Cardeal Ennio Antonelli, presidente do referido Conselho
Pontifício, “a família e os jovens são duas prioridades para a Igreja em
qualquer parte do mundo” e este EMF no México é “um acontecimento muito
importante que Bento XVI segue com particular atenção e afecto”.

Num encontro com a imprensa, no Vaticano, o Cardeal Antonelli lembrou que,
apesar de não marcar presença pessoalmente na Cidade do México, o Papa
intervirá em directo na missa conclusiva, no dia 18.

Antes das grandes iniciativas do EMF, terá lugar um congresso
teológico-pastoral (14-16 de Janeiro), que conta já com 5700 inscrições.

Posteriormente, será a Basílica de Guadalupe o centro das celebrações, com
evento festivo a 17 de Janeiro e a Missa conclusiva no dia seguinte.

O Vaticano espera que o EMF 2009 venha a ser uma “experiência notável de
fraternidade universal”, com povos de culturas diversas “unidos na fé em
Cristo e no amor à Igreja Católica”.

Para este acontecimento, o Papa nomeou como seu enviado o Cardeal Tarcisio
Bertone, Secretário de Estado do Vaticano e seu mais directo colaborador,
que irá encerrar o congresso teológico-pastoral e presidir às cerimónias
de 17 e 18.

No passado dia 28 de Dezembro, Bento XVI pediu orações “para este
importante evento eclesial” e por “cada família, especialmente as mais
afectadas pelas dificuldades da vida e pelas chagas da incompreensão e da
divisão”.

Foi em Valência, em Julho de 2006, que o Papa anunciou que o próximo
Encontro Mundial das Famílias seria celebrado neste ano de 2009, na Cidade
do México. “À amada Igreja que peregrina na nobre Nação mexicana e na
pessoa do Senhor Cardeal Norberto Rivera Carrera, Arcebispo daquela
cidade, expresso desde já a minha gratidão pela sua disponibilidade”,
disse então.

Lançando o tema do VI EMF, “A família, formadora nos valores humanos e
cristãos”, Bento XVI diria mais tarde que “Como primeira escola de vida e
de fé, e como ‘Igreja doméstica’, a família está chamada a educar as novas
gerações nos valores humanos e cristãos para que, orientando a sua vida
segundo o modelo de Cristo, forjem nelas uma personalidade harmoniosa”.

Os primeiros três dias do Encontro do México coincidem com a realização do
referido Congresso teológico-pastoral, que deverá contar com a
participação de oito mil pessoas. No âmbito do tema geral do Encontro
serão abordados diversos aspectos: “As relações e os valores familiares”,
“Família e sexualidade” e a “A vocação educadora da família”.

Seguir-se-ão debates e mesas-redondas de aprofundamento, nomeadamente à
volta da questão “Quais os valores a descobrir e a redescobrir?” – com a
ajuda do Cardeal canadiano Marc Ouellet – a relação entre família e o
valor da vida humana; os organismos que ajudam a família na formação dos
valores – paróquia, movimentos, associações familiares, escola; – família
e mass-media; a família dos emigrantes; política e legislação: o desafio
de legislar a favor da família e da vida.

O Encontro culmina no fim-de-semana de 17e 18, no santuário de Nossa
Senhora de Guadalupe, onde se aguarda uma multidão de um milhão de fiéis.
Para além das já mencionadas Celebrações eucarísticas, de referir, no dia
17, a recitação do Rosário, integrado com testemunhos de famílias
provenientes da África, Ásia, América, Europa e Oceania.

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticia_all.asp?noticiaid=68090&seccao...

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.