After the Dark e o Dilema do Abrigo Subterrâneo

Para abordagem de temáticas relativas com a Moral e com o valor da Pessoa Humana, recomendo o visionamento e consequente análise do filme After the Dark (2013), de John Huddles.

Recriando o famoso dilema do abrigo subterrâneo, este filme relata a história surreal de uma turma avançada de Filosofia cujo professor sujeita os alunos a experiências mentais de modo a desenvolver o seu raciocínio lógico e filosófico. A ideia é submeter os sujeitos à simulação de uma catástrofe nuclear da qual só é possível escapar pela entrada num abrigo que pode acolher dez pessoas durante um ano. Porém, e aqui reside o problema a resolver moralmente, os participantes são vinte e dois, pelo que é preciso escolher quem pode ser salvo e quem será deixado à sua sorte e exposto à radiação.

Cada aluno retira da caixa apresentada um cartão que indica a sua ocupação profissional na experiência mental e são informados de que deverão fazer escolhas racionais tendo em conta a mais valia que cada um pode acrescentar à reconstrução de uma sociedade. Assim, a profissão desempenhada pode constituir uma vantagem ou uma desvantagem consoante o grupo assim o considere no futuro.

A experiência mental decorre em três fases, sendo que na segunda, já não é só a profissão que conta, mas igualmente a orientação sexual (preponderante tendo em conta a necessidade de repovoar o planeta) ou outras particularidades que fazem mudar a primeira opção.

No final de contas, estas alunos vão ser confrontados com um dilema bem mais profundo que escolher pessoas: qual é o critério mais adequado? a lógica ou as emoções?

After the Dark, aqui proposto na íntegra,  é uma excelente inciação à Filosofia Política, nomeadamente à teoria da Justiça de John Rawls.

https://www.youtube.com/watch?v=Rs_ELR1V1pQ

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.