Lucky e o Realismo

Lucky é protagonizado por Harry Dean Stanton, naquele que foi considerado um dos seus melhores desempenhos no papel de um veterano da marinha, rezingão e inconformista, a viver numa pequena localidade onde todos o conhecem e acarinham.

Realizado por John Carroll Lynch, Lucky é a história de um homem de avançada idade que alicerça a sua existência pacata numa rotina diária dividida entre cigarros, caminhadas e Bloody Mary´s, até que um dia, após um colapso em casa, Lucky se apercebe da derradeira inevitabilidade da vida: a sua decadência e consequente morte.

Inconformado, Lucky empreende uma viagem interior, repleta de inconformismo e medo, procurando um sentido para a vida, sempre com uma visão crua e realista da existência, arrastando aqueles que o rodeiam nesta viagem ao centro do sentido da Vida.

Facebook Comments

Professora/Formadora. Licenciatura em Filosofia. Mestre em Comunicação Educacional Multimédia. Especialização em Igualdade de Género. Formação em Filosofia com Crianças pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e pela Associação Portuguesa de Ética e Filosofia Prática. Membro de SOPHIA – European Foundation for the Advancement of Doing Philosophy with Children. Formadora / Tutora em e-learning.

Marcados com: , , ,
Publicado em Cinema e Filosofia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Arquivo